segunda-feira, 15 de outubro de 2012

AMANDA GURGEL, ex de mulher determinada, vereadora em NATAL (RN)


Professora Amanda Gurgel foi eleita vereadora em Natal após sucesso de vídeo em que exibe holeriteEleita vereadora por Natal com 32.819 votos no domingo (7), a professora Amanda Gurgel, 31, vive uma rotina diferente da que mantinha antes de se afastar do magistério há alguns meses para a campanha eleitoral. Ela trocou a sala de aula pelas constantes entrevistas e reuniões com o partido (PSTU). Com a bandeira da educação, Amanda Gurgel foi a vereadora eleita com maior percentual de votos (8,6%) entre os candidatos de todas as capitais do Brasil. Como vereadora, seu principal projeto é fazer com que 30% do orçamento de Natal sejam empregados na educação pública. Também defende a construção de creches para 35 mil crianças e a melhoria do transporte público com a criação de uma empresa pública. A professora se tornou conhecida após a divulgação de um vídeo no Youtube com seu desabafo aos deputados do Rio Grande do Norte sobre os problemas da educação no Estado.

 O vídeo teve mais de 2,2 milhões de acessos e fez de Amanda a professora mais popular do Brasil. “No mesmo dia em que o vídeo foi para o ar, as pessoas já começaram a me parar nas ruas, falando que tinham gostado de minha atitude e sugerindo que eu me candidatasse”, explicou. Daí para sua candidatura foi um pulo.

 A professora, que já era filiada ao PSTU desde a época em que era universitária, foi a opção para que o partido apostasse nela todas as suas fichas de conseguir pela primeira vez um representante na Câmara Municipal de Natal. A estratégia fez com que, além de Amanda ser eleita, o número de votos obtidos foi suficiente para puxar outros dois vereadores da coligação PSTU-PSOL para a Câmara Municipal: Sandro Pimentel e Marcos, ambos do PSOL. Salário Já de princípio, a vereadora eleita causou burburinho ao anunciar que renunciará à parte de seu salário. Dos proventos de R$ 15.017 – salário dos vereadores em Natal –, Amanda afirmou que vai ficar apenas com o valor referente ao que ela já recebia como professora do Estado e do município, o que somando dá R$ 2.600. O restante será repassado ao partido para que use na luta pelos trabalhadores. 

“Faço parte de um partido que tem como proposta a luta pelos trabalhadores”, explicou, “eu não conseguiria absorver as demandas dos trabalhadores e lutar por eles na Câmara se eu tivesse um salário diferente do deles”. A vereadora, no entanto, ainda não sabe como será feita a publicidade do repasse do salário, mas afirma que prestará contas à população do uso de toda a verba de gabinete. Da sala de aula para a Câmara Da experiência como professora, Amanda conhece os problemas da educação em sala de aula. “Há poucos professores que trabalham apenas um turno. A maioria trabalha dois, três, 

o que inviabiliza uma dedicação maior ao planejamento das aulas, à correção de provas, pela falta de tempo. No meu caso, como professora, acho que o maior desafio é trabalhar com alunos que não são proficientes naquele nível que estão matriculados. É o analfabetismo funcional ou absoluto”. Na Câmara, a professora não sabe o que a espera. “Sei que terei desafios, mas ainda não sei o que vou encontrar. Não sei se as coisas na política correm devagar pela falta de vontade ou se é assim mesmo”, admitiu. ( isso é ex de mulher, pra vcs que já se esqueceram dela, relembrem vendo o vídeo abaixo ) 



Nenhum comentário: