sábado, 1 de setembro de 2012

moleque de 12 anos, bebum em escola de SÃO ROQUE






Um estudante de apenas 12 anos de idade foi descoberto em estado grave de embriaguez em plena sala de aula, numa escola municipal de São Roque, ontem pela manhã. O caso de embriaguez foi percebido por uma professora da 7º série do ensino fundamental, ao vê-lo dormindo sobre a carteira. Pouco antes ele havia oferecido a um colega um gole de pinga que trazia dentro de uma garrafa de água. A partir de segunda-feira, a polícia começará investigar quem vendeu a bebida para o menor, que ontem mesmo recebeu alta e foi para casa.

De acordo com as evidências, o menino, morador numa área rural da cidade, já teria chegado bêbado, e segundo informações obtidas pela assessoria de imprensa da Prefeitura de São Roque, minutos antes de ficar desacordado, o menino, já em sala de aula na Escola Municipal Maria José Ferraz Schoenacker, no bairro Guaçu, teria oferecido a um colega de classe um gole de pinga, dizendo ser água. Diante da reação do colega pelo gosto forte da bebida, o estudante embriagado tomou o restante que havia na garrafa, e enquanto começava a perder os sentidos teria também comentado com os alunos mais próximos que havia perdido o ônibus para a escola e que, ao ir a pé, teria passado num bar e comprado pinga.

Ainda segundo a assessoria da Prefeitura, tudo isso ocorreu na primeira aula, e a professora, tão logo entrou na sala de aula e o viu dormindo sobre a carteira, se aproximou e sentiu um cheiro muito forte de álcool, descobrindo assim a bebida alcoólica na garrafinha. A professora comunicou a vice-diretora que, com ajuda de outros professores, tirou o menino da sala de aula e chamou uma ambulância, já que ele não conseguia andar e nem falar.

O Conselho Tutelar foi acionado, mas até o início da noite não havia ainda registrado boletim de ocorrência na Delegacia Central da cidade. O delegado assistente, Alexandre Cassola, disse ontem que o Conselho Tutelar estaria aguardando a alta médica do menino para só então registrar a ocorrência. Isso porque a conselheira Fernando Coelho, que atendeu o caso, gostaria de conversar com o estudante para saber de que forma ele teve acesso à bebida. Entretanto, embora o garoto tenha deixado o pronto-socorro da Santa Casa por volta do meio-dia, até as 18h15 o boletim de ocorrência não havia sido finalizado, provavelmente para aguardar que o menino se recuperasse totalmente. Mas a entidade vai também investigar se a bebida poderia mesmo ter sido achada num trabalho de macumba numa encruzilhada, como o garoto teria dito ao pai tão logo deixou o hospital.

No hospital, o coordenador dos serviços administrativos da Santa Casa, Eduardo Oliveira, explicou que não poderia passar nenhuma informação sobre o estado de saúde do menino, porque não havia permissão da família do adolescente. Oliveira apenas se limitou a dizer que o estudante se mostrava um pouco assustado. ( trabalho de macumba sim é fácil vc achar pinga, outro dia achei uma em que tinha CHAMPAGNE.

mas é gozado que isso cause espanto em muita gente, que esteja vendo isso, oras moleque mais novo ja fuma maconha, cheira cocaína, crack, até segura uma arma, bem só ele poderá dizer onde achou a pingam, comprado ? e possível, ainda mais em área rural, onde nem deve ter fiscalização )

Nenhum comentário: