terça-feira, 18 de setembro de 2012

funcionária do INSS manda homem enfiar o celular no toba em discussão num posto em UBATUBA (SP)


O vídeo de uma discussão entre uma funcionária de uma agência do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) e um gerente comercial que acompanhava a mãe que tentava se aposentar em Ubatuba, litoral norte de São Paulo, já tem mais de 20 mil acessos em apenas três semanas na internet. As imagens mostram a funcionária dizendo para o homem, que gravava o atendimento pelo celular, “enfiar no rabo” o aparelho. O caso aconteceu no último dia 28 de agosto.
Segundo o gerente comercial, Leonildo Rolim, 28, a atendente se recusou a protocolar o pedido do recurso do pedido de aposentadoria especial da mãe, Zilda Neto, 55, optando por fazer novo agendamento. “Minha mãe, que foi pescadora artesanal, recebeu carta do INSS informando que ela tinha até o dia 28 para protocolar o pedido de recurso do pedido de aposentadoria, que tinha sido indeferido pela primeira vez por falta de documentos. Na agência, a atendente disse que não faria o protocolo, apenas o agendamento para que em outra data fosse feito o protocolo. Eu comecei a gravar para que ficasse claro que era ela quem estava fazendo o agendamento e não por minha vontade”, relatou o gerente.
A primeira atendente informa que a data do agendamento é considerada como válida para a entrada do pedido de recurso. Contudo, o gerente comercial insiste para que o procedimento siga o determinado na carta do INSS. “Isso é prevaricação”, disse Rolim, que também é estudante de direito. “Só tenho pena desse pessoal que é atendido por vocês aqui, mal educados”, continuou.
Rolim informou que estava gravando o atendimento pelo celular. Uma segunda atendente gritou do fundo da sala. “Enfia no rabo”.  Após a acalorada discussão, a gravação termina com a atendente reclamando do número insuficiente de funcionários na agência e o gerente comercial informando que desistia do atendimento e chamaria a polícia. “Chama a Polícia Federal se você quiser”, dá para ouvir a funcionária do INSS dizendo.
“Eu fiquei preocupado que, com o novo agendamento, minha mãe perdesse o prazo para o pedido da aposentadoria”, contou o gerente comercial.
Segundo o advogado especialista em direito previdenciário Diogo Medeiros, em casos em que o cliente já está na agência para fazer o pedido de recurso, não há necessidade de novo agendamento. “Em tese, quando é um caso que não envolve necessidade de perícia, o pedido já pode ser protocolado”, explicou.
De acordo com o rapaz, após a chegada dos agentes policiais, uma gerente da agência apareceu e o pedido do recurso foi finalmente protocolado. Rolim disse ainda que levou o caso à procuradoria pública federal em São José dos Campos.
Procurado pela reportagem do UOL, o INSS, em Brasília, informou que já tem conhecimento do fato e solicitou à Corregedoria do órgão que apure, por meio de procedimento administrativo disciplinar, se houve conduta inadequada por parte da servidora.
A SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) também foi questionada sobre o atendimento policial e como o caso ficou registrado, mas não respondeu.( este é o serviço publico no BRASIL, e a funcionária que nada tinha a ver, tomou as dores da outra e mandou o cara enfiar o celular no toba, e diz não ter medo de ser demitida.
ainda vão apurar se houve má conduta da servidora, oras então assim vão trocá-la de posto e pronto.)

Nenhum comentário: