quinta-feira, 27 de setembro de 2012

deputado quer proibir o filme TED, o urso de pelúcia maconheiro



 O deputado federal Protógenes Queiroz (PC do B/SP) entregou nesta quarta-feira (26) o pedido de reavaliação da censura da comédia "Ted", de Seth MacFarlane. 

O documento com a solicitação foi entregue ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. O momento foi registrado pelo próprio político por meio de uma imagem divulgada no microblog Twitter. 


Em reportagem do UOL, o Ministério da Justiça afirmou não haver necessidade de suspensão do filme, um pedido que chegou a ser citado por Protógenes, que se inconformou com o conteúdo do filme ao conferir a atração nos cinema ao lado do filho. 


O desconforto do político com o longa foi registrado no Twitter, o que gerou grande repercussão entre os usuários da internet. 


No Twitter, o deputado disse que o longa não deveria ser exibido nem para maiores de 18. 


"Fiquei chocado e indignado com esse filme. Ele passa a mensagem de que quem consome drogas, não trabalha e não estuda é feliz", comenta. 


"Não poderia ser liberado nem para 16 nem para 18 anos. Esse filme não pode ser liberado para idade nenhuma. Não deve ser veiculado em cinemas". 


 A classificação é feita a partir da ocorrência na obra de cenas e conteúdos de sexo e nudez, violência e uso de drogas. 


O escalonamento entre as seis faixas de classificação se dá de acordo com a intensidade, importância, impacto e o contexto em que tais cenas/conteúdos se apresentam.   ( ficou chocado princesa ? vai combater o que ta nas ruas, mas que mania de se incomodarem com filme, novela, programa de tv o escambau p...


a realidade tá é nas ruas, o deputadozinho de m... se incomodou com  uso de drogas, quando ali mesmo perto do congresso, os nóias e traficantes fazem a festa.

agora que o filme vai decolçar, se poderia passar desapercebido,vai é bombar na net, pirataria, quem quiser assistir assiste onde quer, proibir no cinema não é obstáculo

não tem mais nada no BRASIL pra se fazer, então o deputado sustentado com nosso dinheiro , tem tempo pra pensar em besteiras.)

Nenhum comentário: