quinta-feira, 13 de setembro de 2012

chefes do tráfico, vão pro xadrez em SOROCABA






Dois líderes do tráfico de Sorocaba dividiram a cidade em duas grandes regiões. A linha divisória era a ferrovia. Conforme a polícia, Geraldo César Matia, o Gera, 42 anos e Andréia Duarte de Oliveira, 37, comandavam a distribuição de droga. Ambos seriam ligados à facção Primeiro Comando da Capital (PCC) e estão presos. Geraldo ficava com a zona leste, zona sul e também Votorantim, e Andréia com a zona norte, segundo o delegado José Humberto Urban Filho, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG). O acordo fechado entre Geraldo e Andréia definia as áreas de domínio. Com isso não havia conflito por disputa de território nem rivalidade, ao contrário, colaboração para o gerenciamento dos pontos de tráfico. 

A investigação foi iniciada pela DIG em maio. Dez pessoas estão presas: seis homens e quatro mulheres. Há ainda um adolescente e um procurado. As quatro últimas prisões ocorreram na terça-feira. De acordo com o delegado, no intervalo de algumas horas entre a noite de segunda-feira e madrugada de terça a arrecadação do tráfico foi de R$ 20 mil, dinheiro apreendido pela polícia. 

Andréia é mulher de Jair Francisco da Silva, o Jair Barriga, preso em 2007 e que atualmente está na Penitenciária 2 de Mirandópolis. Com a prisão de Jair, ela assumiu os negócios do marido. Andréia seria responsável pela distribuição de droga na zona norte, inclusive no Parque Laranjeiras, onde é comum adolescentes serem pegos vendendo entorpecentes. A prisão de Andréia aconteceu no Parque Vitória Régia, no dia 21 de agosto. Ela tinha 2 quilos de cocaína pura, segundo Urban. Geraldo foi pego com 1,5 quilo de cocaína na Vila Sabiá, dia 30. Em 2007, ele reagiu à prisão e levou um tiro na barriga. Ficou preso até o ano passado.

Geraldo costuma camuflar o tráfico com outras atividades, mesmo que só de fachada. Em 2007, ele mantinha uma loja de carros na avenida Otávio Augusto Rangel, em Votorantim. Atualmente era dono de uma pequena empresa de guincho. Um caminhão Volkswagen foi apreendido com ele. A investigação apontou lugares que Geraldo costumava frequentar. Ele morava no Jardim Tatiana e se reunia com gerentes do tráfico no bairro da Chave, em Votorantim. Além de Sorocaba e Votorantim, Geraldo e Andréia também distribuíam droga para outros municípios menores na região de Sorocaba, diz Urban.

A cocaína encontrada com Andréia tinha um símbolo de um animal em baixo relevo, que atestaria a qualidade e procedência da droga. Para o delegado da DIG, a quadrilha movimentava a maior parte da droga em Sorocaba. Os outros oito presos são Abner Batista, o Bili (preso com Geraldo), Andréia Graciano, a Magrela (presa com Andréia Duarte), Hudson Alex Sandro da Silva, Marcius Paulus Vallesi Pereira, Jonathan Gino Nascimento, Ismael Antunes Leite Neto, Cleusa Martins Gonçalves e Gilmara Cristina Batista Granado. Alessandro Francisco de Melo é procurado.

Os homens estão presos no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba e as mulheres na Cadeia Feminina de Votorantim. Urban ressalta que Geraldo e Andréia atuavam no comando da rede de tráfico em Sorocaba. Geraldo conhece Jair, marido de Andréia, o que facilitou o acordo em dividir a cidade. O delegado acredita que o acordo reduziu o número de homicídios em Sorocaba motivados por disputa de áreas, mas por outro lado mostrou capacidade de adaptação e organização dos criminosos. As prisões desarticularam a quadrilha em Sorocaba, observa Urban. Os cargos de comando porém deverão ser ocupados por outros, pois o tráfico se reorganiza, diz o delegado.
( pois é, a bonitona la encima vai perder o restante da beleza na cadeia, parábens ao jornal pelas fotos, mas a mania de esconder a cara das pessoas, só a mulher foi mostrada, e o gordo e o restante do bando ?)

Nenhum comentário: