sexta-feira, 10 de maio de 2013

LEITE CONTAMINADO, SE LIGUEM GALERA.


Após a deflagração da operação “Leite Compen$ado”, como foi denominada a ação do Ministério Público (MP) do Rio Grande do Sul que detectou a adulteração do produto de pelo menos quatro marcas, a Fundação Procon-SP divulgou um comunicado na última quarta-feira orientando o consumidor a ficar atento e não consumir os respectivos lotes alterados. O órgão informou ainda que caso possua o produto em questão, o consumidor deve trocá-lo ou procurar o ressarcimento junto ao estabelecimento onde o leite foi adquirido mediante a apresentação de nota fiscal. Há ainda a orientação para que nenhum leite da marca Latvida, empresa que foi interditada pela Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul, seja consumido. Os produtos comprometidos receberam um tipo de fertilizante que contém formol, substância apontada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como causadora de câncer.
O órgão divulgou todos os lotes apontados como de risco das quatro marcas condenadas. Os lotes L05KM3, L13KM3, L18KM3, L22KM4 e L23KM1 do leite Italac Integral e L12KM1 do Italac Semidesnatado, lote TAP1MB da marca Líder/Bom Gosto UHT integral (esses primeiros também comercializados em boa parte do Estado de São Paulo), lote 3ARC UHT integral da marca Mumu e o lote fabricado em 16 de fevereiro de 2013 com validade até 16 de junho de 2013 da marca Latvida UHT desnatado não devem ser consumidos, e podem ainda ser trocados. De acordo com as marcas, os lotes comprometidos já foram retirados das prateleiras dos estabelecimentos.
Na tarde de ontem, alguns dos principais estabelecimentos comerciais e supermercados de Sorocaba foram visitados e somente em uma grande rede foi encontrado à disposição o leite da marca Italac, o que gerou uma reação negativa por parte de alguns consumidores. Um deles, enquanto fazia compras, chegou a questionar um funcionário do supermercado sobre a procedência do leite. “Não é esse que está ruim?”, disse o homem. Questionado, ele afirmou que não tinha coragem de adquirir o produto. A mesma reação teve uma mulher ao notar as caixas da marca empilhadas. “Mesmo que tenha acontecido longe eu não tenho confiança em comprar”, afirmou.
Embora de fato a operação e investigações tenham decorrido no sul do País, muita gente tem se mostrado receosa quanto ao consumo de leite também em outras regiões. Até mesmo quem não consome leite de caixa regularmente mostrou preocupação com o fato, como a aposentada Maria Arantes. “Só consumo leite em pó, mas vou alertar minha filha para não comprar dessas marcas mais. Dá medo”, conta. A mesma opinião é compartilhada pelo funcionário público Claudinei Godoy, que apesar de não ter o costume de utilizar as marcas comprometidas, teme pela qualidade do produto. 
“Eu não consumia nenhuma dessas marcas. Mas fico com medo não só em relação a essas marcas, mas também pelas demais. Nessas, o problema foi descoberto, vai saber o que pode ter em outras diferentes”, alerta. Ele acredita que quem faz o uso do leite comprometido deve interromper o consumo, a exemplo do que fez há alguns meses quando foi flagrada uma situação semelhante envolvendo o leite de soja da marca Ades. “Eu consumia bastante, mas depois daquilo, parei”, revela.
A costureira Magali Salla de Lima conta que já chegou a consumir o leite Italac por algum período, mas ultimamente só tem comprado outras marcas. “Cheguei a comprar muitas vezes. Mas prefiro marcas que já estão no mercado há mais tempo”, diz. Ela acredita que mesmo que os lotes comprometidos tenham sido retirados dos estabelecimentos, é necessário tomar cuidado. “Não dá para comprar. O certo é pelo menos dar um tempo e parar de consumir por enquanto”, opina.
Através da investigação, os promotores descobriram que os suspeitos envolvidos no caso compraram 98 toneladas da substância utilizada para alterar o leite, o suficiente para adulterar 100 milhões de litros do produto. No Rio Grande do Sul, outras marcas além das quatro já apontadas estão em situação de consumo não recomendado. Ao todo, devem ser denunciadas 12 pessoas com envolvimento no caso ao MP. Até o fim da tarde de ontem, nove suspeitos já haviam sido presas pela polícia gaúcha. ( pois é, fique atenta dona de casa)

Nenhum comentário: