quarta-feira, 29 de agosto de 2012

igreja a afins conseguiram manipular a mente de uma menina estuprada pelo pai.


A adolescente de 14 anos, grávida, após ter sido violentada sexualmente pelo pai, decidiu manter a gravidez. Ela fez exames para o aborto, que seria realizado no último dia 20, com o consentimento da Justiça, mas mudou de decisão depois de conversar com psicoterapeutas e assistentes sociais. A menina está com quatro meses de gestação.
A tia da vítima notou a gravidez e, a princípio, pensou que fosse de algum namorado, segundo a delegada Ana Luiza Salomone, da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). A garota contou então que foi o próprio pai quem lhe engravidou e que os estupros aconteciam desde que tinha 12 anos.
De acordo com a tia, a adolescente já tinha feito todos os exames para realizar o procedimento, e pediu orientação da família. “Deixamos a decisão nas mãos dela, para que pensasse com calma e não se arrependesse depois”, afirma. Segundo ela, a menina ainda está muito fragilizada e deve entregar a criança para adoção. 
A tia contou que já foram feitos todos os exames morfológicos e o bebê está completamente saudável. Além dos psicólogos, a adolescente recebeu visita de religiosos e assistiu a videos explicativos sobre o procedimento de aborto. “Ela preferiu não tirar uma vida, que já está praticamente toda formada. Estamos dando todo o apoio necessário, independente da decisão dela”, destacou a tia.
Segundo a responsável, a menina está recebendo todo o tratamento médico e psicológico, e já recebeu inclusive atenção de celebridades, como Luan Santana. “Ele soube que ela é fã incondicional dele e ligou para ela. Ela não acreditava que estava falando com o ídolo”, conta a tia.
O Arcebispo de Sorocaba, Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, manifestou-se sobre o caso através de uma nota enviada à imprensa: “A Igreja preza a vida humana em todas as fases de seu desenvolvimento e em todas as situações. É errôneo, ilógico, considerar intocável a vida do recém-nascido e julgá-la descartável nove ou dois meses antes do nascimento. Trata-se de incompreensível discriminação. Agradeço a Deus pela preservação da vida da menina concebida em condições que nos causam tristeza e repugnância. Agradeço ainda a Deus por ter preservado a gestante de nova violência à sua dignidade. Ela não se arrependerá de levar até o fim a gravidez. Estou certo que nenhum ser humano terá a coragem de dizer à nascitura, depois que ela chegar à idade adulta: “quando você estava sendo gestada eu queria que você fosse abortada”. A adolescente gestante, orientada por pessoas amantes da vida, poderá um dia dizer à filha: “foi dificil, muito difícil, mas eu aceitei que você crescesse em meu ventre”. Agradeço à Comissão de Defesa da Vida da Igreja a dedicação e a presença junto da família. A família e a gestante continuarão a receber apoio da Igreja através de pessoas e profissionais competentes. Prevaleceu no coração das tias o espírito cristão do qual comungam conosco”, diz.
O caso
O pedreiro de 37 anos, preso no dia 14 de agosto, é acusado de violentar sexualmente as três filhas, de 12, 14 e 18 anos. As duas mais novas moravam com ele, já que a mãe é viciada em crack e abandonou a família. O pedreiro, que está na cadeia de Pilar do Sul, poderá ser condenado a mais de 60 anos de prisão e as três meninas passarão por tratamento psicológico. O tempo máximo de prisão no Brasil, porém, é de 30 anos. A reportagem não publicou o nome do pedreiro e dos familiares para que as vítimas não sejam identificadas indiretamente.

( é mas depois que nasce é cada um pro seu lado, ai todos saem de cena, a menina tenta levar uma vida normal, mas sem mais o apoio de ninguém, o que interessa é o nascimento de mais uma criança neste mundo injusto. 
com certeza, fizeram todo tipo de promessa (tipo eleitoreira ) pra menina, fizeram a lavagem cerebral, manipulando uma mente frágil , que ainda não conhece todas as artimanhas e malandragens do mundo.
direito a vida ? e depois que nasce, ai é menor de rua, traficantes , como aqueles da zona norte, na AV ULISSES GUIMARÃES POR EX ,direito a vida não é apenas antes de nascer, mas depois e pra toda a vida, entendeu IGREJA ?
quanto a criança será entregue a adoção e que seja pelo menos adotada por um casal descente, claro que sua origem deve ser apagada pelo juiz, afinal quem tem coragem de adotar uma criança sabendo que sua mãe foi estuprada ? )

Nenhum comentário: