domingo, 3 de maio de 2015

TOMORROWLAND apresenta problemas em seu segundo dia com drogas e roubos.

Todo grande evento, muitas vezes por não conseguir conter as proporções de sua dimensão, apresentam alguns problemas. O Tomorrowland Brasil não foi uma exceção. Durante o segundo dia do festival, pelo menos um arrastão ocorreu dentro da Arena Maeda e as enfermarias registraram um alto número de ocorrências relacionadas a drogas ilícitas.
Durante passagem por um dos nove postos de saúde era possível ver jovens deitados na camanecessitando do auxílio das enfermeiras e dos médicos responsáveis. “Só hoje tivemos trinta casos de problemas por excesso de drogas. Os jovens misturam tudo, bebida e as chamadas drogas recreativas, como ecstasy e LSD“, disse Juliane Cardoso, 32, médica responsável por um dos postos, afirmando que o alto número de ocorrências deve-se também ao tamanho do evento. Queda de pressão, náuseas e convulsão foram alguns outros exemplos que o também médico Rafael Vilela, 31, teve de tratar. “Festival de música eletrônica é assim mesmo. No meu posto tivemos que levar cinco pessoas para o hospital, por precaução.“, concluiu.
Alguns dos presentes notificaram a ocorrência de arrastão em um dos palcos menores, na hora que o DJ Hardwell foi se apresentar no início da noite. “Eu e meu namorado estávamos bem afastados do palco, e quando o Hardwell entrou, fomos levados pela multidão. Era impossível sair. Quando paramos, meu namorado e muitas outras pessoas notaram a ausência de seus celulares e carteiras nos bolsos“, disse a jornalista Fernanda Guerreiro, 28. “Ouvi algumas reclamando de terem sido roubadas em outras ocasiões hoje, apesar de ontem não ter acontecido nada que eu tenha visto“, acrescentou o baiano Rubens Oliveira.
Além da segurança, o festival apresentou falhas em sua estrutura em seu segundo dia. Muitos jovens reclamaram da ausência de sistema para comprar a moeda local por cartão de crédito. “Fui em dois postos diferentes e nos dois disseram que só estavam aceitando dinheiro. Fica complicado, pois o espaço é enorme e temos que ficar andando até achar um lugar que aceite cartão“, reclamou o carioca Rodrigo Nudelman, 24. “O preço das coisas está caro e não é interessante ficar andando por aqui com notas altas. Podemos ser roubados“, disse seu namorado, Marcelo Novaes.
enquanto os hospitais estão sucateados a dengue se alastra pela vizinha cidade de SOROCABA, temos de ver nosso dinheiro sendo gasto pra socorrer esta juventude de merda sem noção.
e no twitter os de menores xingando por não poderem estar lá , liberem estas porcarias fora da cidade, la cada um usa sua droga, fornecida pelo estado e se der algum problema que se dane, pois nem policia nem ninguém estará lá pra socorrer, já que não querem que o estado se meta em suas sub vidas

Nenhum comentário: