quarta-feira, 16 de setembro de 2015

aluno inteligente é confundido com terrorista em escola n TEXAS (EUA)

Quando Ahmed Mohamed chegou à escola nesta segunda-feira (14) com um relógio digital que ele mesmo montou, o adolescente de 14 anos estava ansioso para mostrar aos professores os frutos do seu trabalho. Mas em vez disso, ele foi retirado da sala de aula e detido – acharam que era uma bomba.
Segundo o Dallas Morning News, Ahmed montou o relógio em casa na noite de domingo. É algo simples, mas demonstra que ele sabe o que está fazendo: a peça foi feita a partir de uma pequena placa de circuito, uma fonte de alimentação e um display digital, tudo colocado dentro de uma caixa decorada com o holograma de um tigre (afinal, ele tem apenas 14 anos).
Ahmed mostrou o relógio a seu professor de engenharia, que recomendou não mostrá-lo a nenhum outro professor da escola MacArthur High School, em Irving, Texas (EUA).
Mais tarde naquele dia, Ahmed foi para a aula de inglês. Infelizmente, o relógio continuou a apitar e o professor insistiu que ele mostrasse o que causava o barulho. Quando Ahmed mostrou o relógio, o professor o tomou dele.
Então, durante o sexto período do dia, o diretor da escola foi até a sala de aula de Ahmed com um policial. O garoto foi detido e removido da escola e alega ter sido interrogado por cinco policiais diferentes — todos perguntaram por que ele estava tentando construir uma bomba. Ele também alega que o diretor ameaçou expulsá-lo e que suas digitais foram registradas.
A polícia divulgou na noite de ontem que três professores da MacArthur High School reclamaram sobre Ahmed — eles pensaram que o garoto tentava construir uma bomba. O objeto foi mostrado a ele durante a interrogação, e a polícia diz que Ahmed “continuava a afirmar que se tratava de um relógio” e não “ofereceu nenhuma outra explicação”… porque era um relógio, mesmo.
A mesma declaração da polícia afirma que o relógio “poderia ser confundido com um dispositivo caso fosse deixado em um banheiro ou debaixo de um carro”. Inclusive, a polícia de Irving pode até acusar Ahmed de ter construído uma “bomba falsa”.
O pai do garoto, Mohamed Elhassan Mohamed, acha que o incidente é o resultado de preconceito. “Porque o nome dele é Mohamed e por causa de 11 de setembro, eu acho que meu filho foi maltratado”, disse ele ao Dallas Morning News.
Parece que Ahmed não passa de um geek inocente: ele é membro do clube de robótica da escola, e em uma foto registrada pela irmã dele durante a detenção policial, a expressão assustada do garoto é acompanhada da camiseta da NASA que ele vestia no dia.
A hashtag #IStandWithAhmed está circulando no Twitter — e muitos colegas nerds e geeks oferecem apoio a ele.
Ahmed está agora em casa, mas ele foi suspenso da escola por três dias. Talvez alguns dos professores dele deveriam ser suspensos também, para passar um tempo identificando a diferença entre um relógio digital e uma bomba. [Dallas Morning News via Verge]
( pois é o  moleque provou ser mais inteligente que professores, policiais enfim todos ali, pois como é possível que um professor não saiba o que é um relógio ou bomba ? 
e a policia que já deve ter curso de bombas, tb não sabe ? ou só foram fazer pose diante de um garoto, pq quando é bandidão da pesada, ai ficam na miúda né ?
mas tb se deve ao preconceito dele ser muçulmano, sendo assim o que impede um americano com mas intenções de fazer uma bomba realmente ? )

Nenhum comentário: